AMVAP-Saúde orienta municípios no agendamento de consultas

Para ajudar na agilidade dos serviços de consultas, exames e procedimentos o Consórcio AMVAP-Saúde vem orientando os municípios a traçar estratégias que melhorem os resultados dos agendamentos oferecidos à comunidade.

“Estamos orientando as cidades consorciadas que mantenham o constante contato com o paciente. Muitas vezes o paciente tem um contratempo, acaba mudando de ideia, ou faz em outro local e não avisa o município.  É um trabalho realizado com frequência que parte, principalmente, entre a relação municipal e beneficiário”, reforça a coordenadora administrativa do consórcio, Erondina Ipólito.

O consórcio conta com um programa de agendamento para facilitar o serviço. O sistema é usado pelo AMVAP-Saúde, pelos municípios e as clínicas parceiras. O procedimento é simples e rápido para garantir a organização das demandas.

“A cidade faz o cadastro do paciente no sistema e o pedido de agendamento aparece na tela do prestador, com indicação de data e hora, após confirmado o agendamento, o município imprime a guia autorizativa e entrega para o paciente fazer o procedimento”, explica a coordenadora administrativa do consórcio.

Entre janeiro e agosto deste ano foram 2.669 pessoas que  não compareceram aos agendamentos feitos pelos 22 municípios consorciados, para mais diferentes especialidades.

Segundo o secretário de Saúde de Capinópolis, Giovani Mafioleti, um dos motivos para a quantidade de ausentes pode ser o prazo para agendamento. “Ligamos, e, dependendo da especialidade, marcamos para daqui 15, 20 dias, até um mês, e tem pessoas que esquecem a data e não comparecem”.

A recomendação é que a comunicação sobre a falta seja feita para que outra pessoa possa ocupar o lugar. Ainda segundo a coordenadora administrativa, caso os pacientes não faltassem tanto ou avisassem com antecedência, o tempo de espera seria bem menor, pois as consultas seriam otimizadas.

“Por exemplo, às vezes a clínica não consegue abrir uma grande demanda de dermatologia, e abre para 10 pacientes, mas pode acontecer de 4 faltarem e não avisarem ao prestador. Se avisa a própria clínica ou mesmo o município coloca outra pessoa no lugar que estava agendado para dia seguinte”.